Carro vale a pena?

Vale a pena ter carro? O que fazer para encontrar essa resposta

Nesse artigo vamos falar sobre uma grande dúvida nos dias atuais: será que vale a pena ter carro?

Sem dúvida essa é uma reflexão importantíssima para quem deseja alcançar a liberdade financeira. E sei também que é uma reflexão que pra muitos é complicada, pois envolve emoção na decisão.

Você já pensou que seu carro pode estar atrapalhando na construção dessa liberdade?

Seu carro pode ser um meio de conforto, mas muitas vezes um “ladrão” do seu dinheiro.

Faça as contas de quanto você gasta com seu carro mensalmente, anualmente e num período de 5 anos e compare com alternativas existentes, que por sinal são cada vez mais comuns e baratas (uber, cabify, 99taxi, app de bike, patinete, aluguel de carro).

Compare com o que você poderia estar investindo na construção da sua liberdade financeira, sua aposentadoria.

Certamente você descobrirá que financeiramente essas opções são muitas vezes mais rentáveis. Fora isso, ainda economizam seu tempo procurando vaga, dinheiro do estacionamento, flanelinha, combustível, manutenção do veículo e tudo isso precisa ser considerado na hora de decidir.

Sem contar que no trajeto você ainda terá tempo livre para produzir ou relaxar.

Faça as contas, veja se na sua realidade realmente é necessário vale a pena ter carro, muitas vezes ele pode ser apenas um “luxo”, um conforto que estabelecemos como algo essencial, porém muitas vezes não é.

Confesso que quando decidimos vender o nosso, no começo bateu um orgulho, uma emoção acompanhada do pensamento: “mas eu não vou chegar nos lugares com o meu carro? O que vão pensar de mim?

Pensamentos como esse são comuns e quer saber? Só te atrapalham.

Além disso, eu tinha um carro e sequer tinha condições de tê-lo, minha renda, minha condição financeira não permitia isso e, não sei se você sabe disso, mas esse é o retrato da maioria dos brasileiros. Comprar um carro sem ter condições de comprar.

E você pode pensar: mas eu tenho crédito, posso financiar! Mas isso não significa poder comprar, isso é apenas uma maneira de comprometer ainda mais sua renda mensal, pois ao financiar você paga 2 carros. E os bancos pulam de alegria com isso.

O primeiro mês sem carro…

No primeiro mês me senti estranho, mas foi libertador me livrar das preocupações financeiras relacionadas ao carro (Financiamento, Seguro, IPVA, Licenciamento, Manutenção, Multa, Estacionamento, Pedágio, Combustível).

Hoje, depois de estabelecer prioridades, focar no que realmente importava, posso dizer que tenho dinheiro suficiente para comprar alguns carros, mas sinceramente não quero! E esse é o poder que a liberdade financeira traz pra sua vida, o PODER DA ESCOLHA.

Eu posso? SIM, mas NÃO QUERO!

Vamos às contas

A vida se tornou melhor sem carro, sem trânsito, sem preocupação com dirigir (perde-se muito tempo com isso).

Comparativo Carro X Investimento
Seu carro pode ter se tornado um peso no orçamento e motivo de preocupações. É hora de refazer as contas.

Eu e fiz as contas e percebi o quanto ter um carro atrapalhava no objetivo de guardar dinheiro e investir.

Dá só uma olhada nas contas, coloquei na imagem ao lado pra você entender melhor o raciocínio e, confesso que fui modesto, pois não considerei alguns custos como combustível, estacionamento e pedágio, que são custos importantes.

Essa mesma imagem foi postada no meu Instagram há algum tempo.

O objetivo aqui é te ajudar a pensar.

Talvez um carro na sua vida seja necessário para trabalho, viagens constantes, enfim…não tem certo ou errado. Para a minha realidade, e principalmente para os meus objetivos de vida, não valia a pena e até hoje continua não valendo.

Eu tenho plena consciência de ter um carro agora só atrasaria nossos planos de liberdade financeira, pois aumentaria consideravelmente as nossas despesas mensais.

Essa decisão se torna mais fácil quando você tem clareza exata sobre os resultados que está buscando, eu falo mais a fundo sobre isso em um artigo sobre a importância de se ter clareza, se abrir para novas oportunidades e percepções.

Na minha atual realidade ter carro não faz sentido

Mas isso eu decidi racionalmente, tive que aprender na amarra, na necessidade de mudar para resolver um “buraco” financeiro.

Além disso, quando vendemos o nosso carro, o valor dele serviu para superarmos uma baita crise financeira, na qual nos colocamos exatamente por decisões emocionais.

A pergunta que fica é: o que é mais importante: ter um carro (mais os custos envolvidos) ou construir sua liberdade financeira mais rapidamente?

Rodrigo Camargo

Investidor, empresário e viajante

>