Se o a partir de hoje você não recebesse mais seu salário, suas comissões, sua renda mensal, por quanto tempo você conseguiria sustentar seu padrão de vida?

Se essa pergunta te gerou dúvida ou te deu até calafrio, relaxa, esse post vai te ajudar a resolver isso.

Neste artigo você vai aprender sobre:

Meu principal objetivo com esse artigo é te ensinar a construir a famosa reserva de emergência, que nada mais é, do que uma reserva financeira para possíveis imprevistos, situações de emergência ou oportunidades que necessitem investimento financeiro.

Pra entender o que é uma reserva de emergência imagine o seguinte: você está dirigindo seu carro numa estrada e de repente o seu pneu fura, o que você faz? Você troca pois sabe que tem um reserva no porta malas.

reserva de emergência é exatamente isso, o estepe financeiro que te deixa tranquilo e permite que você continue sua viagem, chegue no seu destino e cuide de consertar o pneu furado.

A função dela é basicamente te trazer tranquilidade perante possíveis imprevistos e não só contra fatos negativos, mas também oportunidades que aparecem e precisam de investimento.

Para calcular a sua reserva de emergência você vai precisar saber qual é o seu custo de vida mensal ou seja, quanto custa sua vida por mês, qual é a somatória das suas despesas fixas + despesas variáveis (alimentação, transporte, moradia, educação, diversão, vesturário, etc).

Some todas as suas despesas mensais e você vai chegar num valor, por exemplo R$ 3.000,00 de custo mensal.

O valor da sua reserva de emergência precisa ser no mínimo 6 x R$ 3.000,00 (caso você seja assalariado), ou seja, o equivalente ao valor de 6 meses do seu custo de vida mensal guardado, que neste caso são R$ 18.000,00 de reserva. Esse valor será destinado à um investimento de fácil acesso, com liquidez.

As pessoas me perguntam se isso é uma regra. Não, não é uma regra, por exemplo para empresários, profissionais liberais, autônomos, que não possuem uma receita fixa, o recomendável é que guardem o equivalente a 10 ou até 12 meses das do seu custo de vida, pois vivem numa realidade onde os valores mensais de recebimento são variáveis ou até incertos.

Bens de consumo como: carro, moto, equipamentos eletrônicos ou qualquer outro objeto de valor NÃO podem ser considerados como reserva de emergência, pois não possuem liquidez, ou seja, se você precisar do dinheiro rápido, você não conseguirá vender esses bens rapidamente e por um preço justo.

É claro que a sua reserva de emergência não será construída de um mês para o outro, você precisará poupar todos os meses, retirando um percentual da sua renda. Mas esse é definitivamente o primeiro passo para começar a investir e sentir mais tranquilidade para lidar com imprevistos ou agarrar oportunidades.

Para acelerar esse processo, vale trocar seu carro por um mais barato e mais econômico e usar a diferença para construir a reserva, algumas pessoas vendem objetivos que não estão em uso como roupas, aparelhos eletrônicos, artigos esportivos, tudo para acelerar o processo.

Numa emergência de saúde, caso você não possua um convênio médico, numa situação onde você perde o emprego, matrícula antecipada da escola/faculdade (se te oferecem um desconto para pagar antecipadamente), você pode muito bem utilizar esse valor para aproveitar o desconto e nos meses seguintes você se paga e repõe a reserva.

Eu acho que o mais incrível de fazer a sua reserva de emergência, é que ao longo dos meses você vai percebendo esse montante crescer e um sentimento de segurança e tranquilidade vai se tornando cada vez mais presente dentro de você, parece que suas decisões ficam mais leves, mais claras, e eu acredito que isso acontece porque aquele “medo” de um imprevisto começa a ficar mais distante, e cada vez mais extinto.

Quando eu comecei a construir a minha reserva de emergência isso ficou muito claro, quanto mais eu guardava, mais eu queria guardar.

Excelente pergunta.

A reserva de emergência não deve ser alocada na conta corrente, ela contará como seu primeiro investimento, a única diferença é que ela precisa ser colocada em um investimento obrigatoriamente de renda fixa com algumas características importantes como: liquidez alta (acesso rápido ao dinheiro) e rentabilidade diária.

É interessante fazer seus investimentos através de uma corretora de valores, instituição especializada em investimentos onde você encontrará as melhores e mais rentáveis opções de investimentos. Falaremos disso em outro post.

O que eu recomendo que você faça a partir de agora, é começar a construir a sua reserva de emergência e me conte aqui nos comentários ou lá no meu Instagram como você está se sentindo ao longo dos meses, conforme esse “bolo” vai crescendo.

Eu fiz um vídeo lá no meu canal do Youtube falando exatamente sobre esse assunto, se quiser assistir, é só clicar aqui ;).

Por hoje é só, lembra de me seguir lá no Instagram e se inscrever no canal do YouTube.

Bóra prosperar e alcançar a liberdade financeira!

Valeuuuuuu!!!

Rodrigo Camargo
Instagram: @rodrigocamargo
YouTube: Finanças PUVE
[email protected]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *